A Maria de Sorocaba

As Marias foram até Sorocaba/SP, conversar com a Sabrina Franco Camargo Vieira, farmacêutica, casada, e, finischer, 4ª gral do KTR-Ilha Bela, ocorrida  no dia 10 passado.

Tem a família como Base, estrutura e apoio em todos os momentos e decisões de sua vida.  ” Só tenho á agradecer pelos meus pais, meu marido Júnior, minha irmã e minhas 3 sobrinhas lindas. E também pelos meus sogros, minha cunhada, sobrinhos que são minha 2°Familia. É muita gratidão.” O texto será narrado em 1º pessoa.

Iniciei com a corrida de rua em 2012, meu marido Júnior professor de educação Fisíca que é meu treinador, me levou em uma prova de 5km pela primeira vez e depois disso não parei mais e os km só foram aumentando a cada prova e a cada ano. Como sempre fui do esporte desde criança foi uma alegria conhecer esse mundo da Corrida é muito gratificante.Em 2015 uma amiga Lucimara me chamou para fazer uma corrida de trail em Cabreúva, chamada Armazém do Limoeiro era uma corrida que tinha 8km e 16km, já fui logo nos 16km e amei essa experiência foi amor a primeira vista, e ainda peguei pódio 1° lugar feminino na categoria de 35 a 39 anos, foi uma alegria para quem nunca tinha feito esse tipo de corrida e ainda ganhar um pódio.

Fiquei muito emocionada.Depois disso nunca mais quis saber de outro tipo de corrida. Me apaixonei pelo Trail Run e até agora só faço esse tipos de provas. As Provas de trilhas fechadas são as que eu mais gosto. Já fiz diversas provas ( Indomit, KTR, K21Serra do Japi, K21 Pico do Urubu, Brasil Ride Botucatu, Desafio 28 Praias, Desafio The Rock e muitas outras desafiadoras). E as que eu mais adoro são as Maratonas de Montanhas, os 42km são minhas paixões.

E ainda quero vivenciar as ultramaratonas que serão meus próximos desafios se Deus quiser. Quando faço uma Maratona sempre gosto de homenagear alguém importante para mim, isso me da muita motivação nos treinos e nas provas, é gratificante e ao mesmo tempo uma emoção.

A motivação para isso tudo foi o fato de correr na natureza, de estar mais próximo das belezas naturais que Deus nos proporciona a cada treino e provas. E o fato dos atletas serem mais prestativos e a recepção sempre é maravilhosa. Eu falo que os Montanheiros são tudo de bom é uma energia totalmente diferente da corrida de rua. As pessoas são mais unidas e uma ajuda a outra. Diversão garantida.

A minha primeira prova foi a Corrida Armazém do Limoeiro em Cabreúva/SP. Tive uma ótima percepção, foi uma alegria, diversão, uma misturada de energia e contato com a natureza e de ansiedade por ser a primeira prova de trail. Eu amei e nunca mais quis saber de outro tipo de corrida.

Não participo de nenhuma assessoria, meu marido é meu treinador ele é educador físico e me dá toda assessoria de treinamentos há anos já, é meu braço direito, meu técnico, amigo, psicólogo e companheiro sempre, faz toda a diferença na minha vida de amadora. E aos finais de semana pago para treinar com a Live Assessoria Esportiva aqui de Sorocaba aonde faço os treinos de trilhas mais especifico com o professor amigo do meu marido.

 

Meus treinos são realizados em terrenos variados, rua, trilha, esteiras. Faço trabalhos intervalados, forte e fraco, técnicos em trilhas. De acordo com os meus limiares. Mais fortalecimentos em musculação, pilates, natação.

Geralmente consigo conciliar assim trabalho o dia inteiro e os treinamentos durante semana faço sempre á noite ou as vezes consigo treinar bem cedinho antes do trabalho, mais na maioria são a noite. Sou muito determinada, focada e disciplinada com os treinos e competições. Depende muito da semana, pois como sou Farmacêutica tenho uma rotina bem agitada. Mais consigo conciliar tudo, trabalho, casa, família, treinamentos e competições.

Acho super importante o acompanhamento nutricional, faz toda a diferença uma alimentação bem balanceada para esse tipo de modalidade, pois ajuda muito nos treinamentos e principalmente nas competições, pela alta exigência calórica. Um bom nutricionista do esporte é o melhor profissional que irá orientar para melhorar cada vez a alimentação atleta amador. Como em qualquer esporte de endurance.

Minha alimentação é toda balanceada e saudável, conforme a distancia que irei realizar a minha nutricionista faz um planejamento adequado para cada prova que irei realizar. Como bastante carboidrato e proteínas e faço uma boa hidratação que é muito importante na semana da prova. Faço o uso de suplementação pré, durante e pós prova. Não como nada diferente antes de da prova. E durante a prova depende muito de cada distancia que irei realizar. Mais sempre com bastante suplementação.

Aqui estão listadas as minhas provas de destaque, assim como um relato da KTR Ilha Bela, que consegui o 4º lugar geral nos 36 km.

K21 Serra do Japi em 2016: aonde fui 2°no geral dos 21km.

 

 

Desafio The Rock em 2017: 4°no geral dos 42km.

 

Desafio 28 Praias Abril 2018:  Vice- Campeã da Prova dos 42km.

Indomit Vila do Farol 10 anos agora em Agosto 2018:  3°lugar no geral

A KTR é um circuito de provas autosuficientes.
Na etapa de ilhabela são várias distância: Ligth 8km, Curta 12km, Média 21km,  Longa 36km e Ultra 80km. Nunca tinha participado dessa etapa é uma das mais desafiadoras. Esse ano devido a 3 semanas de chuvas muito fortes, cheguei ao congresso técnico na sexta dia 09/11 e nos informaram que o percurso iria mudar. A prova sai de castelhiano onde aventura começa já de jipe, mais devido ao tempo foi bloqueada pois caiu algumas barragem que impediram de chegar a Castelhiano. Estava muito ansiosa com a Prova e depois dessa noticia que iria mudar, tive que pensar na estratégia de prova.
A largada foi na Praia do Engenho d’água e la nos informaram que o nosso percurso teve que sofrer algumas alterações e também aumentou a distância de 36km foi para 39.8km.


Comecei a prova tranquila tentando manter um pace ali bem de boa, pois foram 8km de asfalto antes de entrar na trilha. Segurei um pouco para não queimar cartucho já na largada. Entrei na trilha e foi uma alegria,  estava bem desafiadora e perigosa em função das chuvas dos últimos dias. Fui administrando a prova, não sabia quantas mulheres estavam na minha frente, fui para a prova para competir, gosto de competição, apesar de saber que estava entre mulheres fortes, brutas e ultramaratonistas de respeito. Esta etapa é a classificatória para Mundial. Eu sabia que se fosse para classificação no geral eu teria que dar o melhor de mim nessa prova. Todo o cuidado era necessário, hidratação, alimentação e suplementação durante a prova. Afinal é uma prova auto suficiente e temos que levar tudo, não tem pontos de hidratação só algumas bicas de água durante o percurso para abastecer as garrafinhas. Nossa as garrafinhas ajudam muito. Foi a prova mais desafiadora que fiz . No km 30 aonde era o ponto de corte, tínhamos que passar lá até (06:30) de prova. Eu passei com 05:00 esse corte fica no mirante do Baipi, aonde passamos para encarar a tão Temida subida do Pico do Baipi que são quase 4km de subida com altimetria de quase 2000. É uma subida que não tem fim, lá a gente brinca que “vai do céu ao inferno”.

Meu ponto forte são as subidas, foi aí que comecei a me destacar na prova, deixei várias mulheres para trás, esta bem tensa com muitos obstáculos, muita pedra, lama, cipo, cobras, mais chegando lá em cima é muito gratificante e lindo. Depois disso temos que descer tudo de novo e para descer estava extremamente liso, prejudicando a locomoção.

O nível da prova foi muito difícil, mas a experiencia incrível, um desafio perigoso mais nos atletas estávamos cientes que as provas da KTR tem esta característica – auto-suficiência e dificuldade técnica..
Foi emocionante para mim.

Quando eu estava no km 33 descendo o Pico, o staff mencionou a minha posição na prova. Naquela hora passou um monte de coisa na minha cabeça, eu não acreditava que estava entre as primeiras, fiquei emocionada, chorei e fui embora. Na descida tivemos muitas dificuldades, pois tudo escorregava eu várias vezes cai enrosca nos cipós. Durante o percurso vi muitos atletas parando devido as câimbras e desidratação, mas comigo felizmente, deu tudo certo.


Foi incrível viver essa experiência na KTR ilhabela. E ainda chegar entre as primeiras com essa mulherada Bruta, melhor ainda.
Fiz meu tempo de prova: 07:14 ficando em 4°lugar no Geral da prova longa.
O pessoal me apelidou de “Jaquatirica das Montanhas” kkkkkkkk.


Eu só tenho á agradecer ao meu esposo Júnior, que é meu treinador que pega no.meu pé, puxões de orelhas nos treinos, pois sabe que gosto de competir. E ao pessoal da Assessoria que faço de final de semana a Live Assessoria que me.ajudam muito nos treinos de Montanhas.

Meu maior sonho hoje é ser classificada para o Mundial de Trailrun e representar o Brasil.

Fora isso continuo praticando e indicando o trailrun porque é um esporte que faz bem a saúde, ao coração, previne vários tipos de doenças. E também porque é um esporte divertido e de uma energia fabulosa. Aonde as pessoas se conhecem fazem muitas amizades e se tornam uma familía Trailrun.

As Maria´s da Trilha agradecem a tua participação e que venham muitas outras vitórias para que teu sonho se realize…que venha o tão sonhado Mundial.

4 respostas para “A Maria de Sorocaba”

  1. Parabéns Sabrina ! Também ano trail !! Vc é jovem e pode administrar esses km ! Outra coisa , escolha as provas e treine muito ! Assim , mais vale 2 troféus na mão do que lesão !
    Parabéns

  2. Sabrininha e maravilhosa, corajosa e muito determinada, com certeza vai realizar seu sonho, nos, a sua segunda familia, torcemos muito por ela

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *