Resultado da Pesquisa “As Maria’s querem saber!”

Olá Maria’s, hoje vamos divulgar os resultados da nossa pesquisa denominada “As Maria´s querem saber”, que foi realizada pela internet nas nossas páginas do Instagram e Facebook, durante 10 dias no mês de abril de 2020 onde obtivemos 211 respostas.

O principal objetivo era mapear as características básicas e interesses das mulheres brasileiras que praticam a corrida em trilha no nosso país.

Ficamos muito satisfeitas, pois recebemos respostas de todo o Brasil. Nos surpreendemos de forma positiva no que diz respeito a região que vivem, pois 63,5% das participantes informaram que são de locais que não a cidade de Porto Alegre RS, sede das Maria´s da Trilha. Isso comprova o nosso alcance e que o projeto está conseguindo cumprir o objetivo de disseminar o esporte.

Ao analisar as respostas e realizar o tratamento das mesmas, verificou-se que a faixa etária predominante destas mulheres está entre os 31 e 40 anos de idade, representando um percentual de 36,5% das respostas, em um total de 77 mulheres, das 211 participantes da pesquisa.

Fonte: Pesquisa Maria’s da Trilha Abril 2020

Outras 57 respostas, o que equivale a 27% do total, informaram que a corrida em trilha não é o seu esporte principal, o que para nós deixa claro que temos ainda muito o que conquistar.

Fonte: Pesquisa Maria’s da Trilha Abril 2020

Quanto ao tempo que praticam a corrida em trilha, 118 mulheres responderam que conheceram o nosso esporte no máximo há 3 (três) anos. Isso nos faz entender que temos uma quantidade considerável de mulheres aderindo ao trail nos últimos anos, o que nos deixa mais uma vez muito felizes, pois o nosso projeto também completará 3 (três) anos no final de 2020.

Fonte: Pesquisa Maria’s da Trilha Abril 2020

Entre as distâncias mais praticadas pelas entrevistadas destacam-se: até 20 km – tem a preferência com 42,7% das nossas corredoras, depois dos 21 até 42 km – com 28,4% das respostas. As duas faixas de distância somaram 150 respostas, o que representou 71,1% do total.

Fonte: Pesquisa Maria’s da Trilha Abril 2020

Esta característica de público aliada ao tempo de prática entre 0 (zero) e 3 (três) anos explica o porquê ainda temos poucas mulheres em provas de distâncias acima de 50 km no Brasil. Por outro lado, demonstra que chegaremos em números maiores de participantes em breve nessas distâncias se analisarmos a evolução e a entrada de novas mulheres no esporte.

Em relação aos treinos específicos de corrida que realizam e atividades complementares em geral, além de horas dedicadas à sua preparação, temos os seguintes resultados: 49,3% delas treinam especificamente corrida 3 (três) vezes na semana.  Outras 56 respostas, ou seja, 26,5% delas declaram que dedicam 3 (três) dias da semana para sua preparação total (entre corrida e outras atividades), utilizando em média de cinco até sete horas semanais para estas atividades. Isso tudo demonstra uma normalidade dentro dos protocolos utilizados por diversas assessorias esportivas, quando o objetivo visa a pratica do esporte participativo. Quando questionamos o acompanhamento e orientação de assessorias, verificamos que em 84% doas respostas, equivalente a 178 entrevistadas, treinam com orientação de profissionais capacitados. Nesta questão devemos recomendar para as que não possuem treinador, que hoje existem, inclusive, diversas assessorias que trabalham com a orientação remota, planilhas online e feedback por aplicativos. Vale a pena pesquisar e buscar este assessoramento.

Fonte: Pesquisa Maria’s da Trilha Abril 2020

Quando questionamos o acompanhamento e orientação de assessorias, verificamos que em 84% doas respostas, equivalente a 178 entrevistadas, treinam com orientação de profissionais capacitados. Nesta questão devemos recomendar para as que não possuem treinador, que hoje existem, inclusive, diversas assessorias que trabalham com a orientação remota, planilhas online e feedback por aplicativos. Vale a pena pesquisar e buscar este assessoramento.

Sobre a necessidade e acompanhamento de fisioterapia, ficamos preocupadas, pois 70% das que responderam à pesquisa já sofreram lesões que lhes tiraram dos treinos por mais de uma semana e somente 52% do total de entrevistas realizam acompanhamento com fisioterapeuta.

Um número que nos trouxe certa surpresa é que houve um empate entre as que realizam acompanhamento nutricional e as que não realizam. Bom, com relação a isso, realmente sabemos que a procura de um nutricionista muitas vezes está engajada a perda de peso. Mas não podemos deixar de mencionar que para a pratica esportiva ela se torna importante tanto para que se consiga obter o aporte nutricional para a realização das atividades, quanto para que não tenhamos uma perda de rendimento na vida cotidiana, em virtude de um déficit de algum nutriente recrutado pelo organismo para a pratica do nosso esporte.

Outros dados levantados em nossa pesquisa, as participantes declaram que que já correram provas de trail em todas as regiões do país, o que apresenta, mesmo que anda de forma desigual a crescente disseminação do trail pelo Brasil, a crescente oferta de provas, mesmo que necessitando de alguma regulação por parte dos órgãos de gestão do esporte no país e o fervilhante e crescente mercado do trail running que não para de se expandir.

Quando perguntadas se já tinham corrido fora do país, e essa pergunta não distinguiu asfalto e trilha o resultado obtido foi de que 121 mulheres que responderam já correram fora do país, o que demonstra que as mulheres brasileiras andam se aventurando mundo a fora, tendo corrido provas em lugares bem interessantes, desde 10km na Islândia até 160km no Nepal. O local fora do Brasil onde essas mais correram foi na nossa vizinha Argentina.

Por fim, entre os assuntos de maior interesse, quando lhes pedimos para escolherem, numa lista com 12 assuntos, em que poderiam optar por mais de um, os três mais votados foram:

Prevenção de lesões na pratica da corrida em trilha, assunto esse que será abordado em podcast onde estará conosco Matheus Kowalski, fisioterapeuta fundador da Suporte Reabilitação Esportiva.

Os outros assuntos mais votados foram:

Exercícios de fortalecimento para a corrida em trilha, este produziremos uma matéria para o nosso site.

E o terceiro mais votado foi:

Análise de prova futura, planejamento de tempo de prova e leitura de perfil altimétrico, assunto que abordaremos em roda de conversa presencial das Maria’s da Trilha.

Fonte: Pesquisa Maria’s da Trilha Abril 2020

Os demais assuntos vamos produzir conteúdos conforme a demanda do nosso público, mas a pesquisa, graças a participação de mulheres engajadas e que acreditam no nosso projeto, nos deu uma ideia daquilo que interessa essas inquietas e determinadas mulheres!

Informamos que em momento algum nossa pesquisa se propôs a outro objetivo, que não o de nos apresentar uma noção básica de quem são as mulheres brasileiras que andam se aventurando no mundo das trilhas.

Fiquem ligadas, em breve estaremos apresentados mais conteúdos interessantes acerca do mundo das trilhas!

Vamos lá gurias, devemos nos manter ativas e prontas para o que der e vier, a final somos todas Maria’s da Trilha!

#somostodasmariasdatrilha

4 respostas para “Resultado da Pesquisa “As Maria’s querem saber!””

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *