E a Ligia vai para o Trail World  Championship 2019


Ela é uma das referências no trailrunning feminino brasileiro. Se destaca pela sua força e entusiasmo em manter a competitividade no esporte. Conversar com ela deu uma injeção de ânimo. É forte, persistente, corajosa, ousada e disciplinada. Seus desafios são, na maioria das vezes concluídos com sucesso. Hoje ela vai nos falar sobre estar entre uma das melhores do país, o que significa representar as mulheres brasileiras no Trail World  Championship 2019, que acontecerá em Portugal, e, como mantém a competitividade como seu maior combustível.

A Ligia Almeida é de São Bernardo do Campo / SP. Casada com o Ricardo (Thor), ainda não tem filhos, atua como  Terapeuta Ayurvédica , está na segunda gradução em Ed. Fisica , pois quer trabalhar este foco quando concluir o curso. Deixamos tudo com as palavras dela, para nos aproximar mais do dia a dia desta super atleta. Bora aproveitar?

Como conheceu o trailrunning e o que te motivou a praticar o esporte?
Através da Empresa no qual trabalhava, existia uma consultoria em qualidade de vida que oferecia treinamento de corrida em parceria com José Virginio de Morais dono da Assessoria JVM Trail Run, ele é meu técnico e estou na nesta assessoria esportiva desde então isso foi em 2009.

O meu técnico Virgínio, me ofereceu uma inscrição para o percurso de 6 km no Corrida de Montanhas em Parapiacaba região de São Paulo. Eu amei tanto tudo aquilo, me sentia tão eufórica que ao invés de seguir no meu percurso dos 6 km, conforme orientação do Staff, segui para os 12 km o percurso mais longo da prova. Claro fui desclassificada, se tivesse corrido o percurso devido chegaria entre as três primeiras, no 12 km também… rs a partir dai o céu foi o limite comecei a escrever minha história no Trailunning e sou uma Ultramaratonista Endurance.

Qual foi a sua primeira prova e qual sua percepção?
Oficialmente na montanha tirando essa que fui desclassificada foi em Campos do Jordão, Mountain Do 18k, fui 3.ª colocada entre as mulheres.

Veja, foi a de mais pura euforia, estava tão contente por estar naquele contexto, que queria mais e mais e desde então não me vejo não fazendo algo que me traz tanta felicidade, paixão, paz e conexão comigo mesma.

Como são seus treinos?
Nessa fase que sigo para o Mundial de Ultra Trail, estamos na fase de treinos de força específicos para resistência, intervalados e ritmo. Tenho um dia de Day Off (sexta-feira), Sábado meu treino é em horas quando vou para montanha e quando é algo mais rolado (Cross Country) em Kilometragem, tudo não passa de 3h, e o ritmo é como se fosse competição ou na percepção de esforço (eu gosto), e no Domingo uma bike “Lúdica” como assim específica meu técnico, ele quer dizer soltar as pernas não forçar, rs

Como concilia as tarefas do dia-a-dia, os treinos e as competições?
Já foi mais intenso quando trabalha no mundo corporativo, hoje como trabalho por conta consigo administrar melhor meus horários com família, trabalho, estudo, afazeres de casa, treinos e competições. O que ajuda mais é o apoio e parceria do meu “namorido” ele também corre isso facilita a rotina de acordar cedo e irmos juntos principalmente nos finais de semana. Amamos esportes em geral então entra como entretenimento nosso também, e viagem de férias já nos programamos para fazer uma prova no local que iremos conhecer e depois montamos roteiros para explorar os locais, comidinhas típicas e tudo que gostamos de fazer. Ano passado fomos para Europa competimos em 2 provas na Áustria, inclusive uma delas entrou como prova da minha escolha para contar para a Seletiva do Mundial, antes da prova fizemos um trekking no Parque Nacional do Triglav na Eslovênia e conquistamos o cume do Triglav o pico mais alto da região foi incrível!

O que você pensa à respeito do acompanhamento nutricional para os treinos e competições de trailrunnig?
Fundamental, comer bem é treino tão importante quanto o treino físico e mental, na minha opinião esses são 3 pilares para se encontrar o equilíbrio perfeito e conquistar o Everest se quiser, rs

Como é a sua alimentação pré, durante e pós prova?
No geral não tenho problemas com alimentação, na semana da prova, concentro uma alimentação reforçada nos carboidratos mais complexos e muito líquido (Água, Água de Coco).

No dia antes da largada Isotônico, pão branco com geleia (irei usar essa fonte de açúcar rápida nos primeiros kms da prova) e café preto sem açúcar por gosto e preferência.

Durante a prova, a suplementação que recomenda minha nutri normalmente (eletrólitos, bcaa e recovery) alinhamos isso de acordo com a distância/tempo de prova, mas quando longas distâncias reforço com géis a base de sal e cafeína, tâmaras, damasco, provolone, batata com azeitona, paçoquinha, balas de gengibre e uso o que a prova oferece (leio antes para saber o que terá já que muitas provas precisamos ser mais auto-suficientes) isso entra também como estratégia de prova para não sair muito carregada, como eu me conheço e faço testes de alimentação nos treinos longos então consigo me orientar bem com essa estratégia.

Quais provas te marcaram mais?

Tem algumas, mas irei citar 3 específicas.

Trail World Championship em 2016 também em Portugal, além de ser o 1.º Campeonato, pra mim foi como estar nas Olimpíadas do Trail Run, memorável toda abertura e cenário competitivo que vivenciei. Feliz em voltar esse ano e levar nossa bandeira novamente junto com todos da delegação brasileira.

Ultra Fiord 2017 – 112k Essa corrida me marcou, porque, depois dela revi minha maneira de correr e objetivos com a corrida…, ela me deu um verdadeiro sacode, rs

Indomit São Bento do Sapucaí 2019, embora já tivesse conquistado minha vaga no inicio do ano, eu me coloquei nesse cenário competitivo e forte para continuar firme nos treinos para chegar mais preparada e dar meu 110% nesse mundial.

Qual será seu maior desafio em 2019?
Além do Mundial em Portugal em Junho meu outro maior desafio é o UTMB – Ultra Trail du Mont Blanc) no final de Agosto desse ano percurso das 100milhas (170km cruzando a tríplice fronteira da França, Suíça e Itália) desde 2015 venho me qualificando e me preparando para ela. É meu sonho antigo e esse ano, além dos pontos válidos minha loteria saiu. Não foi fácil conquistar essa primeira parte, como diz o meu amigo Cícero Barreto “suei grosso” até aqui, e continuo suando, rs

Como você vê o momento do trailrun no Brasil?
Vejo mais positivo, estamos 1 km por vez, desde o 1.º Mundial muitos corredores bons começaram a se revelar isso foi ótimo, minha opinião é que precisamos nos organizar com campeonatos estaduais para nos enfrentar mais assim melhoramos nível de provas e performance para todos (organizadores, técnicos, assessorias, lojas esportivas, etc..,)…, penso eu também que esse cenário ajuda a medir o quão nossos treinos estão sendo eficientes para atingir os objetivos, isso vale para todos atletas amadores e profissionais.
Além disso para dar continuidade ao Trail no Brasil precisamos trabalhar, motivar e incentivar mais pessoas para prática, tornar mais conhecido o esporte.

Um outro ponto positivo ao meu ver é que os gringos nos conhecem sabem que tem brasileiros bons correndo montanhas e não estamos tão distante das realidade deles, embora tenhamos que muitas vezes tirar leite de pedra para realizar os treinos específicos, já que não temos na porta do nosso quintal as altas montanhas.

Qual prova você indicaria para uma Maria?
Marias eu gosto de muitas provas, porém a minha melhor experiência nacional foram 3 provas nas quais eu pude desfrutar de tudo: boas trilhas, confiança, segurança, respeito e cuidados com atleta, foram: Faccat Trail, Brasil Ride Botucatu e Indomit São Bento do Sapucaí.

Qual seu maior sonho dentro do trail?

PERFORMANCE! Gosto de fazer jus ao tempo e força que dedico aos treinos e sim eu curto competir e me divirto muito com tudo isso. Aliás é mais divertido do que difícil uma vez que se está preparado/treinado eu sempre aproveito todos os caminhos e competições que me coloco com muita alegria nas pernas e no coração principalmente.

Na sua percepção, ser trailrunner é…
Fazer parte do todo que envolve a natureza que nos ensina o tempo todo como se comportar perante a ela, é se colocar nos desafios com respeito por tudo e todos, é preciso ter a certeza que não é o 1.º e nem o último lugar que determina quem a gente é, mas como estamos realizando a jornada.

Por que você indica o trailrunnig como prática esportiva?
Porque, a natureza e a montanha tem conexão direta com seu eu interior…, ela te coloca em competição direta consigo mesmo, de uma maneira boa, gostosa as vezes dolorosa e bastante suada.
Aposto que todo mundo o tempo todo vivência essa competição, vou dizer que é a minha melhor competição quando eu enfrento a mim mesma, meus anjos e monstrinhos saem, rs nada melhor que conhecê-los, enfrentá-los e conseguir dominar e aprender com cada um deles.
A sensação que dá que quando saio das trilhas e montanhas é que levei uma boa “surra”, me mostra o quão eu preciso aprender a cair e a me levantar repetidamente perante a grandiosidade da vida, e que somos apenas parte dela, semente que Deus plantou perante ela no qual precisamos respeitar, merecer, cultivar e agradecer por tudo que temos principalmente a oportunidade de vivenciá-la e praticá-la. Sou um ser humano melhor depois que comecei a prática do Trail Run isso é fato e transformador.

Sem palavras para te agradecer Lígia. Tua experiência, com certeza, nos impulsionou a “desafiar” cada vez mais o nosso “eu” interior. Temos muito mais para dar, com certeza. Desejamos que teu caminho seja longo e que continues nos representando assim, com essa força!

Obrigada!

Maria´s da Trilha


 

8 respostas para “E a Ligia vai para o Trail World  Championship 2019”

  1. A Ligia é um exemplo para nós alunos da JVM, nos ensina, nos motiva e nos representa. Tenho muito orgulho de fazer parte da mesma família do trail run.
    Go Ligia, nossa gigante!

  2. Adorei esta , entrevista
    Se tivesse mas escrita teria lido
    Gostaria saber falace
    Da ultramaratona Juquitiba
    Vc ganhou
    Qual foi perenge vc passou,
    Nas corrida conta aí
    Parabéns vc muitas vitória viram .

  3. Imagina minha alegria por ser amigo da Lili, já ter treinado ao lado dela varias vezes, ter participado da Indomit São Bento do Sapucaí e ainda ter presenciado a vitória dela na prova de 50k feminino, demais. Parabéns pela matéria. Ligia vai lá no mundial e nos representará da melhor maneira com certeza. Abraços as Marias e Marios das trilhas tbm.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *